segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Proposta dos serviços versus repensar a musealização do sítio.




Tendo em conta a história do fascismo português e a luta da libertação dos Povos Africanos da Língua Oficial Portuguesa, o Museu da Resistência deve ser pensado como projecto supra nacional. Um projecto colectivo para o qual todos devem envidar esforços para edificar, nesse sítio de memória, um espaço de diálogo e de desenvolvimento cultural. É o dever da memória, a dimensão histórica e a causa comum que faz do Campo um espaço de compromisso entre os PALOP, Portugal e o Mundo.
(...)




.










0 comentários:

Enviar um comentário