quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Cabo Verde discute património cultural em Maputo


Cabo Verde - representado pelo Ministério de Ensino Superior, Ciência e Cultura - vai a Maputo, Moçambique, participar numa reunião com os outros países de língua portuguesa onde será debatida a hipótese de se criar um Centro de Formação em Gestão do Património Cultural.

A reunião tem como principal motivação a organização dos países de língua oficial portuguesa em torno de interesses ligados ao património cultural. Como indica o próprio Termo de Referência - redigido em Maputo pela Direcção Nacional de Cultura daquele país - o continente africano tem dois centros de formação sobre gestão do património: um no Quénia e outro em Benim.
Por razões linguísticas, os PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) sempre se sentiram à margem da discussão do património em África. O director de Salvaguarda do Património do Instituto de Investigação do Património Histórico (IIPC) de Cabo Verde considera o encontro valioso não só para se discutir uma maior independência linguística dos países de língua oficial portuguesa.
Segundo Hamilton Fernandes, o encontro também definirá metas de actuação do continente frente aos órgãos internacionais de gestão do património histórico da humanidade.
O encontro tem lugar na cidade de Maputo nos dias 21 e 22 de Fevereiro e trará discussões como inventariação e classificação do património, pesquisa e disseminação das políticas públicas.
Os trabalhos contam, igualmente, com a participação de Portugal e Brasil, e no fim, espera-se conceber um documento que vai nortear o desenvolvimento do património histórico nos PALOP.


0 comentários:

Enviar um comentário