quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Cidade em trânsito e o património: centro interpretativo, roteiro e a contemporaneidade

Começo por dizer que partilhar opiniões, sentimentos e visões do mundo é sempre um prazer para quem ama profundamente a sua cidade natal. Praia é a minha cidade, meu torrão que liga o meu peito e umbigo. Mário Lúcio, artista a quem muito admiro, canta raiz de ceu ti mar, é um raiz kim conxe… nha pêtu é si txom nha umbigo é si simenti. É o orgulho na raiz e a expectativa de um futuro risonho que desejo a cidade da Praia, enquanto espaço de trânsito e de memória.
Vou dedicar este post à cidade da Praia enquanto espaço em trânsito de passado, presente e futuro. A vida na cidade balizada no ritmo frenético do quotidiano não deixa espaço para o entendimento, a compreensão e o viver na cidade. A monetarização da vida, a atitude blasé, o tempo relógio, não deixam espaços para o reencontro com a memória. As pessoas desconhecem a sua história, pouca atenção dão ao filão que contribuiu para a construção da identidade social.
Que tal um programa domingo na Praia: um reencontro com a memória
Proponho a criação de um roteiro de espaços integrados de alguns dos principais lugares de memória da cidade. Caso do Liceu Domingos Ramos, Quintal da Música (incluindo o espaço raiz de pólon), Parque 5 de Julho, Museu Etnográfico, Palácio Ildo Lobo, Paços do Concelho, Quartel Jaime Mota. São espaços culturais e institucionais que carecem de uma visão integrada para a efetivação do projecto. Tudo depende da vontade das entidades em presença.

Liceu Domingos Ramos
Proponho a criação de um centro interpretativo no Liceu Domingos Ramos. Trata-se de um Liceu de grande valor histórico e simbólico na cidade onde a maioria dos quadros cabo-verdianos se formou; é um espaço em trânsito, reconciliador com a memória, espaço da (re)construção de identidade e a ponte para o futuro. No centro interpretativo deve constar a memória educativa do Liceu, galeria de fotografias e outros recursos da memória.
 
Quintal da Música
A contemporaneidade, a dança em trânsito, procura através dos discursos da memória criar a ponte de uma cidade-porto dos morgados, dos escravos… A Praia contemporânea com o seu pulsar do dia-a-dia dos amores e desamores, dos sucessos e fracassos, do mito e da realidade.


Parque 5 de Julho
Espaço cultural, de recreio de grande importância na cidade. Quem não se lembra dos grandes eventos culturais desse espaço? Espaço do dia e da noite. Agregador de multidões e de diluição de fronteiras sociais. Também proponho um centro interpretativo nesse espaço que retrate os feitos da vida cultural na cidade.

Museu Etnográfico
Aproveitar o conteúdo expositivo e integrar com a filosofia do roteiro.


Palácio da Cultura Ildo Lobo
 Aproveitar os recursos existentes e integrar com a filosofia do roteiro.

Praça Alexandre Albuquerque - Praia
Lugar de recreio e de sociabilidade.


Paços do Concelho da Praia
Proponho um centro interpretativo com a criação de uma galeria que retrate os processos da construção da cidade, da sua fundação a actualidade.

Quartel Jaime Mota
Desmistificar as imagens das forças armadas e aproximar essa instituição da população. A criação de um núcleo interpretativo que retrate a memória institucional das Forças Armadas.

....

0 comentários:

Enviar um comentário