sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

LUÍS RENDALL RECORDADO EM LISBOA

DIÁSPORA.MOV

O Centro InterculturaCidade organiza homenagem ao genial compositor e músico cabo-verdiano, num gesto simbólico de divulgação de um dos maiores nomes da música crioula de todos os tempos

Lisboa, 25 Fevereiro – Se fosse vivo estaria a comemorar os seus 113 anos. Luís Rendall (1898 -1986) fez do violão arma de expressão de apurada sensibilidade, tendo os seus solos ficado gravados nas memórias do tempo que, permanentemente, o afirmam como o mais respeitado e venerado músico de sua época e de todos os tempos.
Faroleiro de profissão, Rendall – um filho de S. Vicente - viveu muitos anos na Boavista, onde é recordado não só pelos extraordinários dotes musicais, mas também pela simplicidade do trato e a firmeza de carácter.
A música brasileira, desde muito jovem, provocou em si influência assinalável que o iria marcar para toda a vida. O contacto com tocadores de violão do Brasil ocorre em S. Vicente, pois, à época, aportavam à ilha do Monte Cara navios de Terras de Vera Cruz transportando mercadorias.
Neto de um cônsul britânico que se perdeu de amores por Cabo Verde – e ali ficou até à sua morte, Luís Rendall foi detentor de produção musical quase impossível de inventariar na totalidade, pois bem cedo se instalou nele o hábito de compor diariamente. Serão milhares, seguramente, os temas que criou ao longo de uma vida, tendo como fundo, as mais das vezes, a quietude translúcida do mar que beija a Boavista.
Assinalando os 113 anos de nascimento do músico, o Centro InterculturaCidade, de Lisboa, organiza na próxima segunda-feira, 28 de Fevereiro, a partir das 18h30 uma tertúlia sobre “A importância da obra musical de Luís Rendall”, com a participação de João Freire, responsável pela concepção e produção do disco “Memórias de Um Violão”, que Luís Rendall gravou em 1983; seguido de actuação a solo de Sérgio Figueira, o músico cabo-verdiano coordenador do projecto Fôgue d’MAr” – dedicado à herança musical de Rendall. As celebrações encerram com um jantar típico de Cabo Verde, onde não faltarão a Cachupa e o Bolo de Batata-doce.
-----------------------------------
Centro InterculturaCidade
Rua dos Poiais de S. Bento, 73, 1200-346 begin_of_the_skype_highlighting              1200-346      end_of_the_skype_highlighting Lisboa (próximo ao Parlamento)

0 comentários:

Enviar um comentário