terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Para uma acção integrada envolvendo a comunidade.


Em Cabo Verde as autoridades precisam mudar de modelos de actuação no que respeita aos processos de conservação do património. Qualquer acção desgarrada de envolvimento da comunidade peca em termos de valores, de ideias e de responsabilização. Para que serve restaurar, conservar sem envolver a comunidade? Será que a alienação da comunidade nos processos da vida colectiva trará vantagem em termos de responsabilização? Claro que não. Envolver a comunidade nas acções do património fomentará a cidadania e a responsabilização pelas questões patrimoniais e o desenvolvimento local.
Pelos visto isto não está sendo feito, infelizmente… O património nunca deve ser visto como mumificação da memória colectiva. O património é o condimento, é a matéria da vida, é a espiritualidade da vivência colectiva. Uma das várias lacunas em Cabo Verde é acção cultural … acção cultural é a que mais faz falta em Cabo Verde. É preciso criar conteúdos, discursos integrados que envolvem a comunidade, o património e os visitantes.
O património é como uma moeda: valor de troca e valor simbólico.

0 comentários:

Enviar um comentário