quinta-feira, 19 de maio de 2011

Praia: Governo e autarquia unem-se em prol de uma cidade competitiva

Ulisses Correia e Silva quer tirar vantagem de o facto da Praia ser a capital política e económica do país, especializando-se para explorar um segmento de alto rendimento que é o turismo e pediu a colaboração do governo. José Maria Neves acedeu e propôs uma parceria para transformar a Praia numa cidade competitiva e “dos sonhos”.

“Um turismo baseado na oferta de história e cultura, em complementaridade com a Cidade Velha, por ser o berço da nacionalidade e Património Mundial da Humanidade, e Tarrafal, por ter fortes ligações a nossa história comum, nomeadamente com os PALOP. A Praia deve continuar a articular e desenvolver o turismo cultural baseado na diversificação que a própria ilha de Santiago proporciona”, reiterou Ulisses Correia no dia em que o município comemora dos seus 153 anos de existência.
E mais, acrescenta aquele autarca, esta será uma forma de transformar a Praia numa cidade competitiva do ponto de vista ambiental, cultural e económico e dispor de serviços com bom nível que qualidade para que os investidores, visitantes e residentes se sintam confortáveis e possam desfrutar de ofertas únicas na cidade”.
Ulisses Correia e Silva não deixou entretanto de apontar um conjunto de obras que, a seu ver, dignificaria a cidade capital, como a requalificação do Plateau, cine-teatro, mercados e miradouros, entre outros. E, para já, o autarca apontou como desafios da autarquia qualificar a oferta ambiental através de um ordenamento de urbanização de saneamento, a oferta patrimonial, histórico e cultural, como as zonas ribeirinhas e baixa, e ainda a oferta hoteleira e de restauração.
Neste sentido, Silva pediu ao primeiro-ministro uma forte parceria económica, social e cultural para o desenvolvimento da Praia, num jogo que, segundo disse, “todos saem a ganhar” e só haverá vencedores. Em resposta, José Maria Neves propôs uma parceria para que, juntos, possam transformar a Praia na “cidade dos sonhos”.
Entretanto, segundo aquele governante, para que isso aconteça “é preciso um alto consenso que envolve o governo, os partidos políticos, munícipes e a sociedade civil, numa convergência de todos os cabo-verdianos de forma a densificar a agenda de transformação de Cabo Verde”.
“É a nossa intenção. Para isso contamos com o apoio e parcerias das câmaras locais para realizar num espaço de concertação e entendimento, na questão do poder local e do desenvolvimento do país através de uma cimeira anual entre os primeiros-ministros e os presidentes das câmaras municipais como o ordenamento do território, na gestão do solos e as políticas das cidades, ZDTI e questões ambientais, designadamente, o problema da falta de água e do saneamento básico, para que sejam dialogados entre os três níveis de governação”.
JMN fez questão de reconhecer que hoje a Cidade da Praia está mais limpa, funcional e mais perto dos cidadãos. “A rua pedonal do 5 de Julho, Kriol Jazz Festival, os ginásios públicos ao ar livre, o embelezamento da frente marítima, a recolha domiciliária do lixo, a remodelação do estádio da Várzea, a reorientação do parque 5 de Julho e a construção de um novo mercado municipal são algumas das infra-estruturas que reputamos como positivas e que marcam uma nova e legitima cidade da Praia”, salientou, aplaudindo o esforço do edil praiense.
Note-se que durante a sessão solene do Dia do Município, foram homenageados os escritores Arménio Vieira e Mário Fonseca, o grupo de dança Raiz di Polon e a banda Ferro Gaita. Perante um ambiente de muita dança e aplausos, estiveram presentes no evento o Procurador Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, vereadores, deputados nacionais, representantes do corpo diplomático, presidentes das câmaras de cidades da Guiné-Bissau e Senegal, entre outros parceiros internacionais.

Fonte: http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article64386&ak=1#ancre_comm

0 comentários:

Enviar um comentário