quinta-feira, 14 de julho de 2011

NOVO TRABALHO DE TCHEKA, “DOR DE MAR”, JÁ ESTÁ NO MERCADO


Praia, 12 Julho - O músico e compositor cabo-verdiano Tcheka já tem à venda, no mercado, o seu mais novo trabalho discográfico denominado “Dor de Mar”. Composto por 12 temas, todos da sua autoria, com excepção de um tema de Norberto Tavares (Forti bu dan cu stango!) - que o artista reinventa numa interpretação muito pessoal -, o disco “Dor de Mar” fala do amor do artista ao mar e à natureza.
Tcheka assume todos os arranjos, assim como a produção musical do novo CD, refere nas suas letras sobre as agressões à natureza, em particular a apanha da areia, problema ambiental sério em Cabo Verde.
O CD traz um grupo de músicos heterogéneo em experiências e ao mesmo tempo com grande coesão artística, formado pelo camaronês Guy Sanguy (baixo eléctrico), pelo francês Thierry Fanfan (baixo acústico, o que introduz um aspecto novo na sonoridade da música de Tcheka), o angolano Ndu (bateria) e o guitarrista Ivan, de Cabo Verde.
Tcheka, ao violão e voz, regressa ao disco e aos palcos depois de quatro anos, com novas composições e o seu toque peculiar.
Para a distribuição de Dor de mar, a Harmonia estabeleceu contrato com a Sony Music, o que permitirá levar o trabalho de Tcheka para novos públicos
O músico produziu ainda os discos “Argui” (2003); “Nu Monda” (2005); “Lonji” (2007). Participou igualmente no CD Praia-Dakar Conexões, Harmonia, 2005.
Filho do violinista Nho Raul Andrade, cuja casa era uma verdadeira escola de música em Ribeira da Barca (Santa Catarina), Tcheka (Manuel Andrade), entrou na música aos 9 anos e nunca mais parou. Animava bailes e festas com o pai e os irmãos, a tocar mornas e coladeiras, mas a partir dos 16 anos começa a se interessar-se pela música tradicional de Santiago, o batuko em particular.
Mais tarde, a residir na Praia, amplia os seus horizontes musicais e, a partir de determinada altura, encontra o seu caminho: a reelaboração do batuko, numa encruzilhada de influências que vão do blues, à MPB, passando pela música africana contemporânea. E destaca-se como compositor e também como intérprete, com um toque subtil e ao mesmo tempo marcante no violão.


fonte: Liberal

0 comentários:

Enviar um comentário