segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Vicenzo Perugia roubou Mona Lisa há 100 anos e sonhou entregá-la a Florença

 Foi há cem anos que o quadro mais famoso do mundo desapareceu. A 21 de Agosto de 1911, o quadro de Mona Lisa foi roubado do museu Louvre, em Paris, e foram precisas 26 horas para que alguém desse conta da sua ausência. A pintura, da autoria de Leonardo Da Vinci, um dos grandes mestres do Renascimento, foi roubada durante a manhã sem ninguém dar por isso. No ano em que se deu o desaparecimento do quadro de Mona Lisa, a segurança do museu não era das mais eficazes, tendo apenas 150 guardas que protegiam um quarto dos milhões de objectos expostos. Antes do furto do quadro de Mona Lisa, já tinham sido muitas as obras que tinham desaparecido do museu francês.
Na noite em que o roubo aconteceu, Vicenzo Perugia, funcionário do museu, escondera-se num armário da sala onde estavam expostas as obras da era do Renascimento, incluindo o quadro de Mona Lisa. O ladrão passou toda a noite dentro do armário. Na manhã seguinte, depois de as empregadas da limpeza terem saído, Perugia tirou o quadro da parede sem ninguém se aperceber. O planeamento do roubo demorou três meses.
Vicenzo Perugia escondeu a obra durante dois anos no seu apartamento em Paris e depois viajou até Itália com o quadro. Ninguém o descobriu até que ele próprio decidiu tentar vender a obra de arte a Alfredo Geri, que se negou a comprá-la e o denunciou às autoridades francesas. O ex-funcionário do Museu Louvre foi então detido e condenado pelo furto.
(…)
Celebração centenária com documentário
“The Missing Piece” é um documentário que está a ser realizado há décadas pelo realizador Joe Medeiros. No entanto, o filme não foi terminado para o dia do centenário, mas o realizador terá enviado cópias a alguns jornalistas.
(…)
A Itália não desiste de lutar por Mona Lisa. No final de Julho o Comité Italiano para a Valorização dos Bens Históricos, Culturais e Ambientais avançou com uma petição com o objectivo de conseguir que o quadro deixe o Museu do Louvre em 2013 e voe para Itália.
Mas, o Museu do Louvre já deixou bem claro que não pretende deixar “Gioconda”, posição que não desmoralizou os promotores da petição na recolha de assinaturas. O grupo de investigadores italianos apresentou um projecto onde alega que Mona Lisa deveria regressar à pátria do artista florentino.
São necessárias 100 mil assinaturas para que o documento possa ser entregue aos ministros da Cultura de França e de Itália.
Fonte: Públicol, 21.08.2011
Portodosmuseus

0 comentários:

Enviar um comentário